Veganismo é considerado uma filosofia de vida

Comidas, cosméticos, roupas e acessórios: adotar o veganismo não se limita à alimentação

Veganismo é considerado uma filosofia de vida

ALÉM de optar por uma alimentação orgânica, o veganismo tem como principal objetivo extinguir o uso de produtos de origem animal, desde a utilização de pele até testes de laboratório. A diminuição da exploração animal também implica na menor emissão de gases na atmosfera, menos agressão ao meio ambiente, uso de agrotóxicos, fertilizantes e outros aditivos agrícolas nas refeições.

Uma das questões que sustentam a ideia do veganismo é a reprodução de animais em larga escala para o consumo humano. De acordo com a Pesquisa Trimestral de Abate de Animais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), foram mortos cerca de 7,3 mil cabeças de bovinos, 10,4 mil de suínos e 1,4 milhão de frangos nos três primeiros meses de 2017.

Assim como o veganismo, o vegetarianismo tem ganhado muita popularidade, principalmente com a divulgação explícita da exploração animal na indústria alimentícia. Apesar de possuírem diversas semelhanças, os grupos divergem tanto em questões ideológicas quanto práticas. O veganismo abdica de qualquer produto de origem animal – carnes, ovos, leites e seus derivados, mel, lã, couro, pérolas e cosméticos testados em animais. Já o vegetarianismo é dividido em diversas vertentes, como o ovo-lacto-vegetarianismo, ovo-vegetarianismo e lacto-vegetarianismo. Todos eles não consomem carne, mas ingerem outros produtos derivados de animais. Há também a linha de vegetarianos estritos, que não se alimentam de nenhum tipo de comida de origem animal, mas utilizam produtos que os envolvem.

Considerada mais radical, a escolha vegana é motivada pela adoção de uma vida ética para com os animais e meio ambiente, além de desintoxicante para o organismo. “Durante nossa vida, somos ensinados a tirar a conexão de que a carne que consumimos é de origem animal e de que o leite produzido pela vaca é para amamentação do bezerro. Me dei conta de que esse tipo de alimento é extremamente processado, retirando todos os nutrientes durante a pasteurização e industrialização. De um dia para o outro, decidi que não iria mais colaborar com a crueldade dessa indústria e me tornei vegana”, conta a moradora da região Yolanda Reis, que adotou os hábitos há sete anos. 

A instrutora de yoga de São Caetano Elisa Turco adotou as práticas do veganismo há 15 anos e acredita que os hábitos, nos dias de hoje, são necessários diante das questões ambientais. “Ser vegana é minha maneira de viver, é minha filosofia de vida. Saber que não contribuo com o sofrimento de nenhum ser vivo me traz calma, serenidade e amor. Não sou vegana ativista, mas, na medida do possível, falo sobre a minha maneira de vida e já consegui mudar algumas pessoas”, explica.

Para a administradora Aline Santos, de São Bernardo, a mudança de hábitos influenciou não só em questões fisiológicas, mas também psicológicas. “Para mim, o veganismo é uma maneira de sentir e estar mais próxima da natureza e da sua essência. É respeitar toda e qualquer forma de vida e saber que todas elas são necessárias para o equilíbrio da natureza. Minha saúde melhorou muito e, junto com ela, a minha forma de encarar a vida também”, afirma.

Receita

Leite de coco batido com cacau, canela e banana congelada é uma bebida adotada por veganos que combina nutrição e alimentos saudáveis. A receita é ideal para refrescar os dias de calor ou para um pós-treino, recomendada pela Nutricionista Dominique Horta.

Autor: Raíssa Ribeiro.

Fonte: Metodista.