O Brasil é um dos países que mais sofre com a solidão aponta levantamento

Dados do Instituto IPSOS mostram que 52% dos brasileiros disseram sofrer com a sensação de ficar sozinho.

A solidão tem sido um sentimento grande para metade da população do Brasil. De acordo com o levantamento Perceptions of the Impact of Covid-19, realizado pelo instituto IPSOS com pessoas de 28 países – sendo mil brasileiros –, 50% dos respondentes locais afirmam se sentir solitários.

A sensação de solidão aumentou no último semestre, segundo 52% dos brasileiros. Já na média de todos os países, 41% das pessoas disseram que se tornaram mais solitárias nos últimos 6 meses. Para 43% dos respondentes no Brasil, o último semestre gerou impacto negativo em sua saúde mental. Por outro lado, 1 em cada 5 (21%) declarou que o impacto foi positivo.

Um desses casos é do universitário Jose Antônio de 22 anos que saia muito para as festas, mas depois se tornou bastante solitário durante a pandemia ele diz que o sentimento de solidão o incomoda e gera diversos pensamentos, desde depressivos até tristes, ele tenta burlar isso falando com pessoas pela internet, mas isso não tirou a solidão dele, quando acabar a quarentena ele planeja ir em muitas festas e socializar muito mais do que antes.

Ainda segundo o psicólogo Roberto Debski que tem sua própria clínica a “Ser Integral” em Santos, a solidão durante a pandemia mesmo que tenhamos os acessos digitais ainda não substituem o calor humano, apesar de aliviar um pouco, por isso é normal a pessoa sentir algum tipo de tristeza e maus pensamentos pois o ser humano é um ser sociável que foi feito para conviver em sociedade, por isso a população sentiu esse baque na quarentena, e muitos ficaram com sentimentos ruins.

Outro caso é de Gustavo Casagrande Galhardo  de 23 anos que mora em Santo André e trabalha na área de cinema de animação. Ele diz  que era um cara muito sociável que sempre ia a eventos, até o início da quarentena, quando ele finalmente ficou em casa e segundo ele para não ficar maluco ou depressivo, decidiu focar todo o tempo dele em casa e somente no trabalho tentando sempre melhorar e manter a cabeça cheia pra nunca dar a oportunidade de pensar coisas ruins.

Ainda segundo o psicólogo Roberto Debski é necessário que as pessoas busquem alternativas para contornar a solidão durante o isolamento como por exemplo, uma simples chamada de vídeo entre amigos que pode diminuir a solidão das pessoas e talvez possa até alavancar o ânimo da pessoa já deprimida, finaliza.

Autor: Guilherme Zaia.

Fonte: Metodista.