Noiva e universitária

MACKENZIE

Pouca gente sabe, mas a tradição dos casamentos no mês de maio é milenar e tem origem na Astrologia e nos cultos pagãos da Antiguidade. No Hemisfério Norte, a primavera chega ao seu ápice, marcando a passagem do Sol pelo signo de Touro, cuja simbologia está fortemente relacionada à fertilidade. Com o clima ameno e a natureza exuberante nessa época do ano, diversas tradições pagãs da Antiguidade também comemoravam o Beltane, festival que promove o casamento cósmico entre o masculino e o feminino.

   Por isso, maio é considerado o mês das noivas. Entretanto, no Brasil, segundo um estudo da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade), a maioria dos casamentos ocorrem de setembro a dezembro. Mas, isso não diminui a importância do mês mais casamenteiro do ano.

Em maio, muitas lojas de vestido fazem promoções, muitas tendências para a festa são lançadas e muitos eventos são realizados para enaltecer um momento que é tão esperado por muitos casais.

Para Thais Regina, 20, estudante de engenharia do Mackenzie, que está noiva há três anos, maio é o melhor mês para ir atrás dos vestidos e dos ternos. “As lojas fazem muitas liquidações nessa época do ano. Em 2015, fui a uma feira de casamentos e era cada um mais lindo que o outro que deu vontade de comprar na hora”, diz rindo.

A futura esposa e engenheira namora há quase cinco anos e não vê a hora do grande dia chegar. Porém, ela e o noivo, André, preferiram aguardar até que ambos terminassem os estudos. Ele, que está no último ano de administração (também no Mackenzie!), diz que já não aguenta mais ver mil tipos de rendas, pedrarias e véus. “Eu entendo que essa parte seja tão boa quanto o próprio evento, mas ainda falta tanto tempo e são tantos vestidos!”.

Thais ainda tem mais dois anos para se preparar para o grande dia. Além de estar muito ansiosa, a lista de convidados não para de crescer. Só a das madrinhas já somam dez amigas e duas primas. Sua preocupação é em relação ao vestido que todas irão usar, “eu gostaria que todas usassem a mesma cor, mas fui severamente vetada”, comenta rindo. Por isso, resolveu determinar apenas a cor, que ainda não foi 100% escolhida.

Dividida entre preto e vermelho para decorar a festa, Thais tem medo de determinar uma cor agora e a mesma estar fora de moda. Quanto a isso, Thais, não se preocupe, o que é muito bem feito e pensado nunca sai de moda!

Texto: Raphaela Bellinati

Fonte: Mackenzie