Mortalidade de idosos maiores de oitenta anos com Covid-19 tem diminuído pela metade

Segundo dados apresentados por pesquisadores a queda está relacionada com a vacinação nessa faixa etária.

Segundo a pesquisa liderada pela UFPE (Universidade Federal de Pelotas) indica que pelo menos 13 mil mortes de brasileiros com mais de 80 anos foram evitadas. De acordo com a atualização do Ministério da Saúde, a aplicação da primeira dose alcança cerca de 14% dos brasileiros; e 6,5% receberam as duas doses.

 A pesquisa foi feita em parceria com a Universidade de Harvard e indica que imunizantes recebidos pelo Brasil que são a AstraZeneca e a CoronaVac, vem se mostrando eficazes contra novas cepas do novo coronavírus 19, principalmente a variante P.1 que está entre a maiorias dos casos da doença.

Um dos vacinados foi o idoso Geraldo Pasqualini de 80 anos morador no Parque das Nações em Santo André que  tomou sua primeira dose em março, mesmo confiando na vacina ele ainda diz não se sentir seguro.  Porém, ele diz confiar nas autoridades competentes, mas avisa que ele não vai deixar de usar a máscara na rua pois teme pelo que pode ocorrer com ele. Principalmente após ficar viúvo, ele só sai de casa somente numa necessidade e ele acredita que a pandemia vai demorar para acabar.

Segundo o epidemiologista e professor Jose Geraldo Leite Ribeiro da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, todas as vacinas têm alguns efeitos adversos, porém contra a Covid-19, essas reações se mostraram leves e geralmente nas primeiras 48 horas do contato e as reações vacinais com a agressividade da doença onde não está controlada como está acontecendo no Brasil.  Segundo ele, devemos tomar a vacina sem temer os acontecimentos adversos pois depende do sistema imunológico de cada um. Alguns podem sentir e outros não, além disso funcionar contra as cepas do vírus.

Natal Sofilio, tem 81 anos e mora em Santo André no bairro Santa Terezinha, ele diz que após ter tomado a segunda dose não costuma muito sair de casa e só se arrisca para comprar alimentos e remédios. Porém, assim que acabar a pandemia ele diz que quer voltar a caminhar pelos parques de Santo André, mas também diz estar desacreditado que o vírus vai acabar.

Ainda segundo o epidemiologista Jose Geraldo Leite Ribeiro, a Covid-19 tem se mostrada muito agressiva principalmente em idosos, ele disse que apesar da mortalidade diminuir entre a faixa etária dos mais velhos, mesmo que vacinados, eles não devem se sentir muito confiantes sobre a pandemia. Só após 15 dias da primeira dose o corpo cria anticorpos contra o vírus, por isso é importante para o idoso continuar tomando os cuidados necessários, como por exemplo usar máscara e continuar utilizando o álcool gel.

Autor: Guilherme Zaia.

Fonte: Metodista.