Moradores contam que presente de aniversário dariam à São Bernardo

METODISTA

São Bernardo completou no dia 20/08/2017 464 anos. Fundada em 1553 pelo português João Ramalho, a cidade, que inicialmente recebeu o nome de Santo André da Borda do Campo, ocupa hoje uma área territorial de 409 mil km² e é considerada a quarta maior cidade do Estado de São Paulo em número de habitantes – são mais de 820 mil moradores, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

São pessoas vindas de longe ou de perto, há muito tempo ou não, que escolheram o município para viver. E foi justamente alguns desses moradores que a reportagem do RRJ entrevistou para conhecer as histórias deles com a cidade e perguntar: “que presente de aniversário você daria para São Bernardo?”

A técnica contábil Sandra Regina Joaquim Armbrust, 55, conta que morava em São Caetano e chegou em São Bernardo ainda pequena, há 42 anos, acompanhada dos pais. O bairro escolhido para morar foi o Rudge. “Aqui é bom porque você consegue se locomover para todos os lugares, tem ônibus para todo lado, é próximo de tudo”. Ela lembra que se sentiu muito bem acolhida e agradece pelas conquistas. “Tudo o que eu precisei em São Bernardo, consegui. As escolas das minhas filhas, por exemplo, eram públicas e boas”. O que a incomoda hoje, no entanto, é a demora no término das obras de infraestrutura e, se pudesse presentear a cidade, diz que daria “uma administração melhor”.

Também moradora do Rudge Ramos, porém há 50 anos, a aposentada Eunice Trevisan, 80, diz que quando chegou por aqui tudo era muito diferente. “Só tinha o Mercado Municipal”. A moradora veio para São Bernardo com os filhos pequenos e então essa passou a ser a cidade do coração. “Eu não troco São Bernardo por nenhum lugar”. Mas, Eunice lembra dos problemas estruturais que existem e deseja como presente “saúde, educação e segurança para as crianças e jovens da região”.

O Bairro Rudge Ramos é um dos mais antigos da cidade

Já a técnica em prótese Maria Aparecida Achui, 55, moradora do bairro Terra Nova, ainda namorava com o atual marido quando veio pela primeira vez a São Bernardo. “Eu vivi em Santo André e após um passeio pela cidade resolvi me mudar. Gostei do lugar. O prédio onde moro ainda estava em construção”, lembra.

Maria mora há 24 anos no município e notou mudanças ao longo do tempo. “O Centro de São Bernardo antigamente tinha menos lojas que vendiam roupas feitas e mais lojas de tecido. Elas não abriam aos domingos e funcionavam até as 13 horas no sábado”. Sobre o presente para a cidade nesse aniversário, a munícipe é enfática: “Daria mais creches para as crianças por causa das mães que trabalham, e hospitais”.

Atualmente morando no bairro Assunção, o manobrista Marco Antonio Pinheiro, 55, nasceu e cresceu em São Bernardo. Ele diz que os pais vieram para a região em busca de melhores condições de trabalho, porque viram que as indústrias automobilística e de móveis estavam em ascensão na cidade.

O morador afirma que atualmente não tem a dimensão do quão grande é o município. “A cidade se expandiu tanto, que para você conhecê-la vai precisar de um ano ou mais”, brinca. Para ele, o transporte público precisa de melhorias, mas ele daria outro presente para a cidade. “Mais áreas verdes, porque têm bairros que em um quarteirão não há uma árvore sequer. Eu acho que seria bonito”.

Texto: Iago Martins e Luiza Lamas

Fonte: Metodista