Futmanobol: Um esporte de mistura

A modalidade, criada na UnB, pretende se expandir para além do DF

Já imaginou um esporte que mistura fundamentos do futebol, vôlei, basquete e handebol? O Futmanobol tem as proposta de compilar as técnicas dessas modalidades em apenas um esporte.

Em 2010, Cristiano Heppo, na época estudante de educação física da Universidade de Brasília (UnB), pensou em implementar um esporte que pudesse utilizar os pés e as mãos e cujo objetivo seria marcar o gol. Desse esboço inicial, surgiu o Futmanobol, uma nova modalidade que juntou os fundamentos de vários esportes.

Por ser uma modalidade que tem estilos de outros esportes, é inegável que quanto mais outros esportes você domina, melhor será o seu desempenho no futmanobol. É o caso do praticante Leonardo de Oliveira Almeida, 18 anos, estudante de Engenharia de Redes e artilheiro de mão da última copa. Para ele, por ter tido experiência em outros esportes, facilitou muito jogar o futmanobol: “…eu jogo basquete e já joguei futsal. Ai a mistura dos dois, do pé e da mão. Eu consegui me adaptar bem e desenvolver bem o esporte”.

Por outro lado, a prática de apenas um esporte, como o futsal, dificultou um pouco para Túlio Juan Perreira, 31 anos, do curso de letras japonês e sua atlética: “Nosso time todo é de futsal, ai a gente não tem muita experiência com vôlei ou com basquete. Nos sentimos bem inferiores aos outros. Pela gente usar basicamente só os pés”.

Hoje o Futmanobol possui uma base bastante consolidada de atletas: mais de 100 pessoas em um grupo no Whatsapp. É uma modalidade que participa ativamente dos Jogos Internos da Universidade de Brasília (JIUnBs) desde 2012, além de já estar em sua terceira copa.

“Ultrapassamos as cem pessoas no grupo de Whatsapp, e uma parcela considerável delas joga com alguma frequência. Das equipes que estão jogando a III Copa, três delas estiveram presentes também nas duas edições anteriores. O Futmanobol também integrou todas as edições dos JIUnBs desde 2012 (foram quatro). Hoje, dentro da UnB e mesmo no DF em geral, não é incomum que a resposta à “você já ouviu falar no Futmanobol?” seja positiva. Mas ainda há muito para crescer, especialmente através da internet e apresentando o esporte em escolas, clubes e universidades”, diz o criador do esporte.

O futmanobol se encontra hoje em uma fase se expansão, afim de atingir outros lugares fora do DF. A consolidação de um site que já vem sendo desenvolvido e a construção de uma federação irão lançar a modalidade para outros lugares, explicou Cristiano.

“A institucionalização da Federação e a concretização do site serão a ponta de lança para fazermos contatos com universidades, secretarias de esporte, escolas e clubes no Brasil e no mundo convidando a desenvolver o Futmanobol”

Os treinos dedicados à evolução da técnica do Futmanobol e de condicionamento físico acontecem todas as quintas de 17h30 às 19h30 na quadra ao lado do banco Santander na UnB e são abertas para o público.

Regras

Apesar de parecer um jogo de “vale-tudo”, não se engane, o idealizador do esporte estruturou um conjunto de regras para orientar os jogadores ao longo da partida. Por exemplo, os jogadores não podem pegar a bola diretamente do chão com as mãos e sair jogando, só pode tocar com as mãos caso a bola esteja no ar, portanto, é proibido conduzi-las. Confira abaixo as principais regras:

  1. Apesar de poder ser tocada com as mãos e braços, a bola não pode ser conduzida ou carregada, assim como no basquete.
  2. Para tocar a bola com as mãos, é necessário que ela esteja no ar. Quando estiver rente ao chão, só pode ser tocada com os pés.
  3. O jogador não pode dar mais de três toques consecutivos com a mão. Após três movimentos com as mãos, ele pode revezar com a cabeça, peito, pernas e pés antes de voltar a bola para as mãos.
  4. Não existem goleiros, todos os jogadores têm as mesmas possibilidades e podem tanto atacar o gol adversário quanto proteger o próprio.
  5. Caso o jogador dê mais de três toques consecutivos com a mão, o time adversário cobra uma falta no lugar da infração.
  6. A reposição de bola é feita com os pés e bola no chão ou com as mãos em dois toques, como um saque.
  7. A bola só está fora de disputa quando encosta no chão no exterior da área delimitada ou quando são dados dois toques fora da área de jogo.
  8. Ao todo são quatro tempos de dez minutos e o ideal é que cada time tenha quatro jogadores em quadra.

Autor: Gabriel Queiroz e Milena Castro

Fonte: UnB