Desconstruindo conceitos: Karine Oliveira e o empreendedorismo para todos

Diversidade, visibilidade e comunicação foram os assuntos discutidos no episódio desta semana.

A empresa 

A “Wakanda Educação Empreendedora” foi criada com o intuito de traduzir conteúdos do empreendedorismo tradicional para a linguagem informal e regional, envolvendo o acesso de negócios periféricos e de pessoas que empreendem por necessidade. “A ideia da Wakanda é ensinar as pessoas a viver bem”, explica Karine . Ela ainda acrescenta que “a metodologia é mais focada em aprimorar habilidades já existentes nos empreendedores do que ensinar novos conteúdos”. 

Os desafios da pandemia 

Karine relata que a maior dificuldade na pandemia foi auxiliar seus parceiros a se transformarem digitalmente. As pessoas que mais sentiram o impacto das transformações em seus negócios foram aquelas que ainda tinham um baixo conhecimento acerca do digital, e que necessitavam empreender para se manter. Karine acrescenta que “a tecnologia veio para ajudar as pessoas, mas elas precisam de apoio para crescer digitalmente”.

A visibilidade no mercado de negócios

Em 2020 Karine participou do “Shark Tank Brasil”, um reality show sobre empreendedorismo e negócios. Ela conta que “a participação no programa foi uma experiência incrível, porque, por ser uma empreendedora negra, ainda é difícil das pessoas me verem no lugar de empresária, e lá eu fui tratada como a profissional que eu sou, de forma respeitosa, por todos os investidores”.

Karine ainda foi capa da revista Forbes em dezembro de 2020, por constar na lista “Under 30”, que destaca os mais brilhantes empreendedores, criadores e game-changers brasileiros abaixo dos 30 anos. Ela também disse que estar na revista foi como uma comprovação para o ecossistema de empreendedorismo de que é possível negociar e empreender utilizando-se de uma linguagem simples e acessível, além de uma divulgação do seu trabalho.

Motivos para seguir em frente

Karine considera essencial a presença de suas alunas e companheiras no próprio processo de afirmação da Wakanda. Essa coexistência empreendedora, nas palavras dela, de certa maneira, a impede de desistir, visto que, segundo ela, o papel representado por ela é o mais difícil.”A Wakanda se tornou um lugar para que pessoas, independentemente de seus significados, entendam a grandiosidade que possuem”.

Empreendedorismo para todos

Perguntada sobre a necessidade de proteger-se de um mundo racista, a empreendedora baiana questiona: “quem é que ensinou a gente (da população negra) que poderíamos criar alguma coisa?”.

A partir dessa indagação, Karine afirma ser necessário empreender com conexão a um propósito. Dessa maneira, destaca o fato de que a população negra precisa, por vezes, ser “validada” e superar inúmeras barreiras. Assim, é possível presenciar um fato indispensável de valorização às pessoas heterogêneas, de modo que se auxilie em espaços diversos. Logo, tais medidas significam valor a uma existência em locais de fala que perpetuem “para todos”.

Autores:  Luiz Breves e Maria Eduarda Zucatti.

Fonte: PUC-RS.