Com 35% de moedas fora de circulação, BC faz campanha para incentivar uso nas compras

METODISTA

 

Desde 1994, cerca de 25 bilhões de moedas foram emitidas pelo Banco Central e 35% do montante está fora de circulação. Ou seja,  8,7 bilhões de moedas válidas, equivalentes a R$ 1,4 bilhões, estão guardadas nas casas dos brasileiros. Por essa razão, o Banco Central (BC) iniciou uma campanha nacional (veja vídeo abaixo) no Facebook, Twitter e Instagram para incentivar o uso de moedas pela população. A ação do BC também prevê que os funcionários do próprio banco troquem suas moedas por notas, em uma iniciativa interna.

De acordo com o economista Alexandre Borbely, o acúmulo de moedas em casa está associado a uma questão cultural, que tem relação com os períodos de alta inflação no país. “As moedas não eram utilizadas pelas pessoas porque não tinham valor nestes períodos de inflação”, afirmou.

Como os preços dos bens aumentam rapidamente em períodos de inflação alta, é necessário carregar mais moedas para comprar o mesmo produto, o que gera um incômodo para os consumidores.

Segundo Borbely, o uso da moeda torna o comércio mais dinâmico e ajuda a reduzir a inflação. “Contribuiria para que as pequenas compras do dia a dia pudessem ser pagas com moeda e isso movimentaria mais o pequeno negócio”, afirmou.

Mas não é só por causa do poder de compra que as moedas ficam em casa. Muitos cidadãos também acumulam o dinheiro pesado para fazer uma compra extra, de maior valor, no futuro.

A atendente dos Correios Suzi Pereira, 43, afirma que coloca todas as moedas no cofrinho. “Só abro ele uma vez ao ano. Tem ano que junto R$ 100, outro dá R$ 200. Guardo para comprar alguma coisa para minha filha na época de aniversário”, contou.

O estudante de engenharia Lucas Silva, 18, também disse que guarda suas moedas em um cofre para poupar. Já o garçom André Vieira, 45, gasta todas as suas. “Não fico com moeda não”, disse. Todos os entrevistados são moradores do Rudge Ramos, em São Bernardo.

Até o último dia 31 de julho, o BC emitiu 434 milhões de novas moedas, mas o mercado ainda recente a falta de “troco”, especialmente nos comércios populares e nos transportes públicos.

Confira o vídeo de divulgação da campanha lançado pelo Banco Central:

Texto: Alvaro Augusto e Rodrigo Monteiro

Fonte: Metodista