As joias e as vacas de basã

No Brasil há políticos de renome presos por desvio de valores dos cofres do seu Estado e da nação. Completamente orgulhosos, arrogantes e prepotentes, presentearam as suas mulheres com joias, caríssimas (milhões), mas o dinheiro era de fraude, roubo e corrupção.  O luxo é um vício. O Ser vulgar quer aparecer e deixa a vaidade tomar conta de si. Vale lembrar a profecia de Amós as vacas de Basã. Esta profecia é encontrada em Amos 4:1-3 e reza: Ouvi esta palavra, ó vacas de Basã, que estais no monte de Samaria, que defraudais os de condição humilde, que esmagais os pobres, que dizeis aos vossos amos: ‘Traze deveras e bebamos!’ O [Soberano] Senhor Yahweh jurou pela sua santidade: ‘“Eis que vêm sobre vós dias, e ele certamente vos levantará com ganchos de açougueiro e a vossa última parte com anzóis. E saireis pelas brechas, cada uma diretamente para frente.” Essas “vacas de Basã” eram as mulheres de Samaria, as quais, para continuarem a viver em luxo, incitavam seus maridos a defraudar e a oprimir os de condição humilde. Pediam aos seus “amos” ou maridos que lhes obtivessem as coisas que desejavam para levar uma vida luxuriante. O Altíssimo, porém, não encarava com favor tal injustiça. Ele é santo, limpo ou puro, e por isso jurou pela sua santidade que agiria contra as “vacas de Basã”. Elas seriam violentamente arrancadas de Samaria. O inimigo impeliria tais mulheres através das brechas feitas nas muralhas da cidade conquistada. Ora, estes políticos que roubam, corrompem e acumulam fortunas, amparam as suas mulheres (vacas de basã) com joias caríssimas, são insensíveis, pois, enquanto adquirem fortunas, uma grande parte da população está morrendo por não ter o que comer  e nem um centavo para adquirir remédios. Estes senhores escravos de desejos materialistas não sabem o que lhes esperam. Conheci gente muito rica com dinheiro adquirido desonestamente e um dia teve olhos arrancados, pernas amputadas e braços dilacerados. Adiantou ter fortuna? Caros brasileiros corruptos, basta de acumular fortunas arrancadas do povo. Veja o que disse o Senhor a Amós: Perguntou-me o Senhor: Que vês tu, Amós? Respondi: Um prumo. Então disse o Senhor: Eis que eu porei o prumo no meio do meu povo Israel; nunca mais passarei por ele. Quer ser político? Então pegue um prumo, um esquadro e um compaço  e faça destes instrumentos os símbolos da sua retidão, sirva de exemplo. Não nos envergonhe mais!

Olavo Câmara, Advogado, Professor, Mestre e Doutor em Direito Político e Eleitoral.