Amor de verão

Amor de verão

O frio dessa noite de inverno me faz lembrar do calor dos seus lábios. Meu corpo treme e puxo uma segunda coberta, mesmo tendo consciência de que o tremor não fora causado pela temperatura, senão pelo efeito das lembranças do seu amor percorrendo meu corpo. Lembranças daquele verão, aquela estação tão quente que acabou provocando chamas em nossos corações.

Te encontrei em um paraíso onde o sol era diferente. Um sol que, quando refletido em seus olhos verdes, irradiou uma áurea totalmente nova dentro de mim e me fez ficar totalmente imersa em seu interior em poucos minutos.

Quando já pensava estar perdida, me surpreendi com seu sorriso e com a sensação do seu beijo. O beijo que foi o ponto final da minha sanidade. Era algo impossível de evitar, você me puxou como o mar em dias de ressaca e me entreguei completamente a você, de corpo e alma.

Perdemos totalmente a razão diante de um sentimento tão intenso. Em todos os dias nos quais estivemos juntos, não pensamos em mais nada a não ser naquele momento. Não fazíamos nada além de manter nosso corpo unido e nossa felicidade sincronizada. Era só eu e você em um canto em comum do mundo.

Nós só queríamos que tudo aquilo durasse a vida inteira, mas foi tudo rápido demais. Na mesma frequência em que nossas almas foram envolvidas, a realidade deu as caras e nos baqueou. Já não havia mais como mascarar o fato de que nossas vidas estavam prestes a serem separadas. E o dia chegou.

Como é possível sentir que os vinte e um anos da minha vida valeram a pena só por ter vivido aqueles trinta dias ao seu lado? Como é possível que, depois de cinco meses, ainda consiga sentir cada pelo do meu corpo se arrepiar só de pensar em seu toque?

Como não sonhar que o destino um dia se compadecerá de nós e fará com que a América Latina e a Oceania se transformem em um continente só, unindo nossas vidas?

Sigo aqui, do outro lado do mundo, em meio a um inverno gélido, sonhando com o calor daquele amor de verão.

AUTOR: Rebeca Dias

FONTE: MACKENZIE