Biblioteca comunitária da ESPM é inaugurada na Vila Mariana

1

Até mesmo com a sua família dizendo que poderia não dar certo, presidente da ESPM-SP inaugura a primeira biblioteca pública 24 horas de São Paulo

Inaugurada em fevereiro do ano passado, a biblioteca comunitária Livro Livre ESPM já vem chamando a atenção de toda a comunidade. A proposta é facilitar a leitura a quem quiser, oferecendo a possibilidade de levantar livros, de graça, e doar algum para uma próxima pessoa ler. O presidente da ESPM, Dalton Pastore, conta que teve a ideia após ver uma caixinha na porta do metrô com a mesma proposta. Resolveu, então, trazer à ESPM-SP, como uma forma de ensinar civismo aos alunos e também como um presente para a comunidade se orgulhar, já que é algo inédito no Brasil.

Dalton diz que não teve dificuldade em colocar o conceito em prática, mas, sim, convencer a todos de que era uma boa ideia. “Quase todo mundo achava que não ia dar certo, que iam roubar os livros, que ia ter mendigo dormindo dentro, que ia ter gente usando como ponto de drogas, que iam roubar os livros para vender em sebo, que ninguém ia doar, enfim, essas coisas”. Mesmo considerando os argumentos razoáveis, foi à prefeitura pedir permissão e, logo, executou.

O aluno de Relações Internacionais da ESPM-SP, João Otávio, gostou muito da novidade e ainda diz já ter usado. “Achei uma ideia bem revolucionária para popularizar a leitura, e a estruturação de pegar o livro sem burocracia facilita muito. Além de não ter nada obrigatório e só sugerido, o que deixa mais agradável de alugar um livro”, conta. Moradores e estudantes de outras instituições do bairro também já conferiram a nova proposta. Thays Lopes, estudante do Poliedro da Rua Madre Cabrini comenta ter conhecido por uma amiga. “Acho uma iniciativa legal, mas conta muito com o bom senso das pessoas agora, né? ”, opina a estudante.

Aberto 24 horas, o espaço vem crescendo, recebendo livros de todos os gêneros e línguas. Dalton conta que o número de doações está sendo maior do que o previsto. “Eu estava preparado para ir comprando mais umas 4 ou 5 vezes, a gente só comprou livros 2 vezes”. No primeiro dia após a inauguração, já foram levados 1.500 dos 2.000 livros colocados no início. O presidente se mostra muito orgulhoso do resultado e reforça que não quer mérito sobre o projeto, que é dos alunos para eles mesmos e ficaria muito feliz se outras escolas também usassem a ideia.

Autora: Fernanda Galleoti

Fotos: Fernanda Galleoti

Fonte: ESPM